Horário de Atendimento da Prefeitura: 8h às 17h
Rua Prudente de Moraes, 93 – Centro - CEP: 12.380-000
Telefone: (12) 3972-6620 | Fax: (12) 3972-0104
comunica@santabranca.sp.gov.br

Manifestações Culturais

Moçambique

O Moçambique é uma antiga dança praticada em diversas partes das regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil. Nessa dança seus praticantes usam “paiás” ou “gungas” (objetos com guizos ou chocalhos) presos ao tornozelo e bastões, representando espadas. A manifestação chegou ao nosso país por meio dos portugueses, sofrendo aqui a influência dos costumes indígenas.

O grupo de Moçambique no município de Santa Branca teve uma formação atípica, com a predominância do elemento branco ao invés do negro. Aqui, o grupo foi criado pelo Ajudante José Ferreira Braga no momento em que se construía a igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, em 1869. Foi composto somente por brancos (feitores e pequenos sitiantes) para homenagear Nossa Senhora do Rosário e São Domingos, ao invés de São Benedito.

Somente após o falecimento do Ajudante Braga é que São Benedito, santo da devoção popular, passa a figurar no estandarte do grupo de Moçambique. Ainda hoje, o grupo é formado predominantemente por brancos e costuma se apresentar na Festa do Divino e Folia de Reis.


São Gonçalo

São Gonçalo dá nome uma dança típica do Vale do Paraíba. Essa dança é realizada em forma de pagamento de promessas feitas ao santo. Quem fez a promessa, chamado nesse meio de “promesseiro”, é responsável por organizar todo o ritual.

Na maioria das vezes a cerimônia ocorre em ambientes fechados, se possível na própria casa do “promesseiro”. Monta-se um altar e na frente dele desenvolve-se a dança. No altar é colocada a imagem de São Gonçalo e também de outros santos dos quais o pagador da promessa é devoto.

Para dançar são organizadas duas fileiras, sempre de frente para o altar, uma só com os homens e a outra com as mulheres. Como a dança é demorada, quem participa aproveita para comer os alimentos que o “promesseiro”oferece, geralmente café com bolos, pães e bolachas.

Em Santa Branca, a dança de São Gonçalo é realizada, principalmente nas festas religiosas da zona rural.


Folia de Reis

A Folia de Reis é uma festa muito tradicional no Brasil, principalmente no interior de São Paulo e de Minas Gerais. Trazida ao Brasil pelos portugueses, a festa é realizada andando pelas casas do bairro ou da cidade, lembrando a visita dos Reis Magos ao Menino Jesus.

Os tradicionais palhaços são os “marombos”, que simbolizam cristãos que se disfarçaram para distrair os soldados do rei com suas danças, fazendo com que eles desviassem seu caminho. Os marombos deixam a festa mais divertida com suas danças e cantigas.

A bandeira é carregada por mulheres mais velhas ou crianças, representando a família que recebe a Folia de Reis. A flâmula leva a imagem dos Três Reis Magos ou então da Sagrada Família. Na Folia, os versos são cantados primeiro pelo mestre e depois repetido pelos outros participantes. Os participantes usam violas, tambores e chocalhos para fazer suas cantigas.


Catira

É uma manifestação cultural muito parecida com a dança de São Gonçalo, utilizando as batidas de palmas e pés durante a música. A Catira, entretanto, não tem nenhum apelo religioso.

Nessa dança os participantes ficam enfileirados ou então formam uma roda onde todos cantam e dançam. Após o fim da moda ouve-se um grande bater de palmas e pés. Nesse momento os “catireiros”, como são chamados, giram alternando a batida dos sapatos contra o chão e as palmas. Ao fim, todos catam o “levante”, cantiga tradicional do estilo.

A Catira é muito conhecida principalmente nas regiões Sul e Sudeste. O figurino dos dançarinos e o gênero tocado pelos instrumentistas são as principais características da manifestação cultural.